segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Boas Festas

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Relato de experiência seminário regional de inclusão digital e software livre na UPF

Software Livre Promovendo Iniciação à Informática na Educação Infantil e o Despertar para a Criatividade nas Séries Iniciais por uma Perspectiva Piagetiana - Fernanda Ribeiro (Colegio Israelita Brasileiro - Porto Alegre)

Resumo do artigo

Com o intuito de compartilhar as experiências realizadas no núcleo de informática educativa do Colégio Israelita Brasileiro, com o uso de softwares livres e a importância de uma escola privada ao utilizar softwares livres. Fomos escolhidos para relatar essa experiência na Universidade de Passo Fundo, no dia 25.11.2009. Abaixo segue o resumo.

Softwares educativos podem despertar possibilidades múltiplas de aprendizagem. Entre elas, autonomia em manipular a ferramenta “computador” e poder explorá-lo com desafios lúdicos, logo atrativos.

Na realidade do Colégio Israelita Brasileiro, colégio privado da cidade de Porto Alegre, as crianças iniciam sua trajetória na informática aos 3 anos. Mas o questionamento é como iniciar com qualidade essa trajetória? Como promover a aprendizagem, através desses softwares? Partindo desses questionamentos, pesquisamos diversos softwares proprietários e livres. Optamos pelo software livre GCOMPRIS, pois dispõe de atividades lúdicas de exploração nos periféricos de entrada, mouse e teclado. O uso do mouse é uma novidade. É uma ação difícil, pois para as crianças de 3 anos, assimilarem que quando eles manipulam o mouse, precisam olhar o cursor “seta” no monitor, e pensar “se eu mexo no mouse, e olho para o monitor, eu mando na setinha”.

Já para as séries iniciais, em especial as 4 séries, o desafio é como promover atividades atrativas e diferenciadas, já que esses sujeitos possuem a ferramenta em casa e exploram os editores com destreza. A oportunidade partiu de um projeto na Ir Ktaná [1]chamado “O Mistério da Ir Ktaná”, que os alunos escolheram um local da cidade-laboratório e a professora os fotografava. Após as professoras solicitaram para equipe de informática educativa do colégio, sugestões para trabalhar nessas fotos. Recomendamos o editor de imagens livre GIMP, que possuí todos os recursos dos softwares proprietários, porém com um diferencial, os alunos posteriormente podem trabalhar com o mesmo software em suas casas, pois é livre não exige licença com isso não se estimula à pirataria. O principal objetivo foi promover a criatividade de forma autônoma, prazerosa e diferente das experiências anteriores, provocando desequilíbrios. Os alunos sentiram-se incomodados no primeiro momento, pois as múltiplas possibilidades de uso causaram dois efeitos: motivação e medo de não conseguirem compreender a lógica de uso do software. Em um primeiro momento, realizamos o que chamamos de instrumentalização do software, e posteriormente, possibilitamos exploração ao software. Somente após a exploração, é que se iniciou a edição em suas respectivas fotos. Os alunos apresentaram resistência, no layout do software GIMP.

Utilizar as tecnologias desde a Educação Infantil é uma delas, e continuar seu uso com práticas desafiadoras no Ensino Fundamental, são comprovações das possibilidades distintas que a Escola está tentando modificar. Disponibilizar os softwares para continuar seu uso em casa é um avanço que somente o software livre possibilita, seja na realidade pública ou privada. O uso do software educacional livre promove aprendizagem significativa, para tanto é necessário utilizar o recurso, porém com objetivos educacionais



[1] Ir Ktaná – cidade – laboratório desenvolvida no Colégio Israelita Brasileiro para promover cidadania nos alunos de EI e SI.



http://inf.upf.br/~inclusao/programacao

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Pesquisar na internet faz bem a cérebro idoso

A conclusão é de que a internet, se usada diariamente, pode ser um
treinamento, assim como palavras cruzadas, quebra-cabeças, um trabalho
pra não deixar o cérebro perder a capacidade de raciocínio.
Fonte:

Gonzalo Abio (EAD - Educação a Distância)


http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL1348542-10406,00-PESQUISAR+NA+INTERNET+FAZ+BEM+A+CEREBRO+IDOSO.html

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Softwares Educativos e Piaget

Para que a informática possa contribuir para o desenvolvimento das estruturas cognitivas das crianças, Piaget nos fala que é preciso desafia-los de diversas formas, interagindo com o meio, ou seja, o sujeito manipulando o objeto que neste caso pode ser o computador. Os software educativos se bem utilizados, podem despertar possibilidades múltiplas na aprendizagem com o sujeito (crianças),pelo fato de ele poder manipular a ferramenta (computador). As crianças necessitam explorar. O uso do mouse é uma novidade, é dificil os mesmos conseguirem assimilar que quando eles manipulam o mouse, eles precisam olhar a seta na tela...e o melhor ELES É QUE VÃO "MANDAR" aonde vai aquela setinha...depois vem a construção do clicar no mouse...essa prática deve ser construída aos poucos. As crianças com 3 anos e meio, já podem tranquilamente, iniciar essa prática. Minha sugestão de software para as primeiras aventuras no mouse é um jogo do GCOMPRIS que é livre, roda no ambiente Linux e Windows. Ele tem três jogos de descoberta do mouse e do teclado. As crianças no inicio sofrem um desequilíbrio, pois não conhecem é novo, algumas tentam desistir mas é papel fundamental do mediador/facilitador promover que continue tentando até passar pela assimilação,acomodação e o equilibrio. A cada novo desafio é preciso promover esses esquemas constantemente...
Outras opções se software são os desenhos que promovem a motricidade,a criatividade e a lógica para as crianças. Sugestões: Tux Paint,Kea Desenho,ABC Color,ARIE, sites como o smartkids. Tambem. e jogos de memória
Para as crianças com 4 anos e meio ou 5 anos, é interessante despertar as noções de letramento,criatividade,continuar o desafio...sem perder o lúdico JAMAIS...quanto mais recursos auditivos,cores,imagens,desafios...que promovam autoria..mas sempre os esquemas assimilação,acomodação e o equilibrio.
Sugestões para as crianças acima de 4 anos, O Poder das emoções é ótimo para crianças de 3 anos e meio até 7 anos., Guarda-roupa da Mônica e da turma,facetoon,simplepaint,alfabetização (ALFACELv1_3),jogos de reciclagem, fruitfrolic,rayabc (inglês),Drawing (semelhante ao software proprietario Kid Pix), jogos para pintar animais.
E quando acabar as opções utilizem os aplicativos de escritórios (editores de texto e apresentação) para criar desafios.
O essencial é estimular assimilação,acomodação e o equilibrio e tentar acompanhar as estadios de desenvolvimento.
Verificar se houve a conservação da aprendizagem, e estar sempre desequilibrando os alunos.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Criar grupos para discussão

http://www.grupos.com.br/

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Sites interessantes do MEC

Links interessantes voltados para os recursos tecnológicos digitais na educação. Desenvolvidos pelo MEC

E-proinfo

Webeduc

Portal do Professor

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Wikispaces

Wikispaces é uma ferramenta muito interessante semelhante ao pbworks é voltado mais para a educação, com a mesma finalidade compartilhamento de informações,páginas,arquivos....e add outras wikispaces... Eu criei um para testar quem tiver interesse pode colaborar...

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Web 2.0 e Redes Sociais, qual a contribuição para a educação?

A internet está com um papel fundamental na educação. Sabe-se que és ferramenta de busca e, desenvolve nos usuários perfis de pesquisadores.
Atualmente, promove a autoria, pois existem diversos sites que proporcionam a inserção de conteúdos sejam eles(textuais,imagens,vídeos,áudios...) e o compartilhamento dessas ações com as demais pessoas "logadas ou que visitam" esses sites que facilitam essa ação. O próprio blog é o exemplo mais próximo de autoria e as redes sociais o que é a "febre" do orkut, myspace e agora com o NING podemos criar NOSSA PRÓPRIA REDE SOCIAL, a escola pode criar sua própria rede social, aproximando - se da realidade dos alunos e cuidando os conteúdos..
Portanto o cenário mundial esta mudando... a educação precisa estar aberta ao novo..buscar...pesquisar esses novos recursos, que estão disponíveis para nós...os alunos fazem videos na sala de aula e podem compartilhar no youtube...
Vou disponibilizar um texto sobre web 2.0 e redes sociais...mas vamos refletir?
Lista de sites que promovem a autoria

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Arquitetura pedagógica e Andragogia



Imagens retiradas do NUTED/UFRGS

Congresso Informática na Educação: WCCE 2009

No mês de julho/2009 ocorreu em Bento Gonçalves
O Congresso de informática na educação,organizado pela UFRGS, foi maravilhoso e
tive a oportunidade de estar presente e cursar dois mini-cursos ministrados
pela Patricia Beher (ciberinfância) e com
Eliseu (Elaboração de materiais para web)ambos da Linha de pesquisa Pós - Graduação Informática na Educação da UFRGS.
Foi muito interessante, pois no ciberinfância conheci o planeta ROODA, ambiente virtual de aprendizagem voltado para crianças, e realmente é ótimo,tranquilo de utilizar com os alunos e facilmente para estimular interação,diversão e aprendizagens.
Além das referências sobre arquiteturas pedagógicas bem interessante...
Já com o Eliseu relembrei HTML mas muito mais importante foi o cuidado com o material que deixamos para os nossos alunos na web o Design na web, maravilhoso também.

Abaixo minha foto concentrada no mini-curso do Eliseu hehe

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Portal do Software Público Brasileiro

O portal é um local que tem diversas comunidades de softwares livres, e estão sempre publicando e discutindo novos softwares.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Plataforma para publicação pessoal: Wordpress

O WordPress é uma plataforma semântica de vanguarda para publicação pessoal, com foco na estética, nos Padrões Web e na usabilidade. O WordPress é ao mesmo tempo um software livre e gratuito. Em outras palavras, o WordPress é o que você usa quando você quer trabalhar e não lutar com seu software de publicação de blogs.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Recursos do Google facilitam para a educação

A google tem diversas ferramentas, como o docs (aplicativos online),agenda (online,que pode ser compartilhada),blogs,chats,lista de discussão,construção de página...entre outros, não importante qual sistema operacional e a proposta é utilizar sem sistema operacional....

Eles estão entrando no mundo da educação, para quem precisa de feedback eles cobram, mas para profissionais que não necessitam dessa ajuda... basta utilizar os recursos...

Google Educação

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Bem-vindo a Rede Brasil e-Learning!

Rede social que discute EAD no Brasil.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Para criar sua própria rede social - NING



Vamos explorar essa ferramenta é interessante para agregar alunos,professores de uma mesma instituição ou várias..

quinta-feira, 21 de maio de 2009

PBWIKI - ferramenta diferenciada

PBwiki download. Serviço on-line para criação de wikis e compartilhamento de informações de projetos ou educacionais...
Essa ferramenta ainda estou explorando mas é muito interessante, é um AVA, que permite a criação de páginas, envio de arquivos,porém de forma aberta e compartilhada como é a ideia de uma wiki.
O curso Pedagogia EAD da UFRGS utiliza muito, vale a pena conferir!
Para baixar http://www.baixaki.com.br/download/pbwiki.htm
Tutorial desenvolvido pelo CINTED da UFRGS http://penta3.ufrgs.br/tutoriais/PBWiki/conteudo.htm

quinta-feira, 14 de maio de 2009

"Dell Notebooks/Laptops. Compre o seu direto de fábrica"

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Criando animações online

Site muito interessante e fácil!!!!!! para criar animações legais, podendo enviar para blogs,orkut..e salvar como gif

Dicas de matemática

http://web.educom.pt/~pr1305/mat_multiplica_meteoritos.swf
Multiplicação

http://web.educom.pt/~pr1305/

Atividades para diversas áreas

http://web.educom.pt/~pr1305/mat.htm

Dicas de software para construção de atividades pedagógicas

http://classe.geness.ufsc.br/index.php/JClic

O JClic é uma ferramenta para criação da atividades didádicas, onde o professor cria suas atividades baseando-se em pré-formatos como quebra-cabeças, jogos da memória, de completar palavras, de relacionar palavras e figuras, e outros, inserindo seu próprio conteúdo. É possível criar sequência de atividades, com a possibilidade de configuração de ordem, tempo, contagem de erros e geracão de relatório.

Uma outra característica importante é a possibilidade de compartilhamento e obtenção da novas atividades - a priori, gratuitamente (o projeto recomenda o uso de licença Creative Commons Atribuição Não-Comercial Compartilhamento, versão 2.5, que não implica ganhos comerciais com as atividades) - através do site do projeto.

É interessante pois tem formas prontas e o seu uso é interessante, mais fácil que o hotpotatoes mas é da mesma familia.

http://classe.geness.ufsc.br/index.php/CLASSE
Diversos softwares educacionais que funcionam em linux.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Meu primeiro Curso EAD de Inserção das TIC Educacionais - Gratuíto

Inserção das TIC Educacionais tem o objetivo de ensinar em um primeiro momento a atuar com a informática educativa (aplicativos de escritórios,softwares educacionais e internet) realizando, ativididades,planejamentos e projetos educacionais e posteriormente ensinar a trabalhar com as tecnologias educacionais (TV,Rádio,Retroprojetor,Revistas/Jornais e impressos). Ao final do curso será solicitado um projeto de integração das mídias educacionais.
A dedicação para esse curso é duas vezes por semana.

Programa do curso:
Módulo I:
Aplicativos de Escritório e internet básica - Como elaborar atividades/projetos/planejamentos de forma criativa e simples.

Módulo II:
Editores de imagem,vídeo e página e internet intermediária educativa* - Noções básicas de edição de imagem,vídeo e página, como utilizar de forma pedagógica e utilizar e publicar na rede.

Módulo III:
Softwares Educativos: Utilização de softwares educativos FREE e apenas sugestões de softwares proprietários. Criação de atividades com o uso dos mesmos.

http://www.menta.sitedaescola.com/?p=62 (Divulgação do curso)

Professora e Tutora: Fernanda Ribeiro

Inicio do curso em Maio/2009
Link do curso http://www.sitedaescola.com/ferramentas/dokeos/courses/TICEDUC/

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Sugestão de softwares educacionais FREE e/ou Demo, ou aplicativos com possibilidades educacionais

Hot Potatoes - Tutorial programa que contém ferramentas que possibilitam a criação de diferentes tipos de exercícios interativos para a web.

Cante: Software para cantar karokê, utilizado junto com o paródia, pode facilitar uma atividade lúdica de paródias e os alunos cantarem suas produções, podendo ser temáticas.

Paródia: Sofware utilizado para criar paródias de músicas.

Hagáquê: Software para criar histórias em quadrinho, com possibilidade de importar personagens e cenários,inserir áudio (música ou narração das crianças ou jovens)e possibilidade de postar na internet pois salva como HTML.

Tux Paint - Editor de desenho para crianças.

Office for kids "DEMO"- Software especializado para gerenciar projetos em inf. educacional

Pivot - Software que gera animações "boneco de palitos", que salva como gif podendo ser inseridos em apresentações,blogs,páginas...

GIMP - Editor de imagens

Scratch - software educacional que possibilita alunos e professores a criarem jogos,simulações baseados na lógica de programação logo, porem mais atrativo e fácil para alunos e professores, e tem possibilidade publicar o projeto na internet de modo a compartilhar sua autoria.

Squeak - Software que possibilita a criação de jogos,autoria,programação para crianças.

Captivate (Demo) – aplicativo que possibilita a criação de simulações e demonstrações com base em cenários e enigmas.

Gcompris - É conjunto de aplicativos interdisciplinar que pode ser utilizado nas disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, Educação Artística, Geografia .

Gtans - Este é um jogo milenar chinês conhecido pelo nome Tangram . É constituído por sete peças (também conhecidas por tans). Ele ajuda a desenvolver as inteligências lógico-matemática, espacial e intrapessoal.

Laboratório Virtual de Física - aplicativo que apresenta conceitos e simulações sobre Física Mecânica.

PHPWebquest - programa para criar Webquest, Miniquest e Caças ao Tesouro sem a necessidade de escrever o código HTML ou utilizar programas de edição de páginas web.

Sugestão de atividades para educadores sociais

* Criar uma empresa (razão social,logotipo,ramo,cores da empresa,endereço,site,e-mail) - (Word,power point e gimp)
* Criar uma vaga de emprego e pedir que eles se candidatem via e-mail e tu faz uma simulação de entrevista
* Criar um produto que não existe
* Trabalhar identidade usando os avatares (http://www.sp-studio.de/) e podendo criar um diário no word ou cria um blog (www.blogger.com)
* Trabalhar heróis (http://fabricadeherois.blogspot.com/) e depois criar um texto coletivo cada um vai criando seu texto (coloca algumas palavras no quadro) e eles vão desenvolvendo e tu diz troca..eles trocam
* Trabalhar sexualidade,drogadição,postura,música popular brasileira,história da arte,mitologias...eles adoram isso
Bjs

Sugestão de recursos e atividades para desenvolver com a internet

Interação: Os professores podem comunicar-se por e-mail,criar chats, fóruns, lista de grupo, criar salas de chat, criar blogs e páginas pessoais, e a wiki que á uma ferramenta de texto colaborativa e coletivo, onde todos construem o texto e hipertexto, além de texto podem integrados rádios on line e podcast.
E o mais interessante é que todas essas ferramentas podem estar integradas em sites como as ferramentas do google ambiente (página/plataforma) conhecidos como AVA´s (Ambiente Virtuais de Aprendizagem), exemplos moodle,teleduc,AMADIS entre outros...

Pesquisa Para que a pesquisa na internet seja de qualidade o professor precisa exigir que o aluno pesquise sobre o tema ou conceito em mais de um site e pegue as referências de qual site retirou as idéias. Isso é filtrar as informações, além da pesquisa simples tem a opção do google acadêmico e do livro do google, que são trechos de livros disponíveis para pesquisar.Além disso o aluno precisa unir as idéias pesquisas e emitir sua opinião, ou seja o professor não deve aceitar o famoso "CTRL + C E CTRL + V= Copia e cola", isso não é pesquisa. E aproveitando uma atividade bem interessante para desenvolver conceitos e criar mapas conceituais.
Outra ferramenta interessante é um site doodle que gera enquetes , o professor lança uma questão e os alunos podem opiniar de forma livre ou dirigida.
Essas pesquisas podem executadas com os aplicativos de escritório (Broffice "free" ou office "proprietario") ou aplicativos on line

Projeto virtuais as chamadas webquests, é uma página que o professor pode criar e deixar seu projeto aberto para os alunos consultar e deixar a atividade, a avaliação, os sites de sugestão,o objetivo entre outro disponível para os alunos consultar, e como é uma página, o professor pode utilizar todos os recursos da internet para facilitar a interação do grupo e do próprio com a turma.

Além disso o aluno pode trabalhar com a localização de cidades pelo google map , fazendo projetos como conhecendo meu bairro, minha rua...; pode construir álbuns virtuais das turmas ou fotologs que eles podem publicar tb.

Recursos interessantes
para inserir nas páginas, nos trabalhos podem ser inseridos fontes animadas e diferentes.

Criar avatares para criar sua "personalidade na internet", e podendo gerar grandes discussões.

http://www.sp-studio.de/ (South Park)

http://www.simpsonsmovie.com/main.html?cid=br (Simpsons)

Criar slides e postar na página, no blog ou no orkut,"Estilo Movie Maker on line" -

Diversos sites interessantes

Toondoo - Site que cria HQ e pode ser inserida em blogs,sites e orkut (é inglês perfeito para as professoras da área)



ArtPad - aplicativo de desenho.

Atlas Escolar - aplicativo para trabalhar geografia, meio ambiente e questões climáticas.

Canal Kids - portal que apresenta questões associadas à cultura, cidadania, meio ambiente e tecnologia.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Formação de professores para o uso das TIC, não basta ter conhecimento técnico é preciso ter objetivos e conhecimentos pedagógicos

Para que o professor tenha condições de criar ambientes de aprendizagem que possam garantir esse movimento (contínuo de construção e reconstrução do conhecimento) é preciso reestruturar o processo de formação, o qual assume a característica de continuidade. Há necessidade de que o professor seja preparado para desenvolver competências, tais como: estar aberto a aprender a aprender, atuar a partir de temas emergentes no contexto e de interesse dos alunos, promoverem o desenvolvimento de projetos cooperativos, assumirem atitude de investigador do conhecimento e da aprendizagem do aluno, propiciar a reflexão, a depuração e o pensar sobre o pensar, dominar recursos computacionais, identificar as potencialidades de aplicação desses recursos na prática pedagógica, desenvolverem um processo de reflexão na prática e sobre a prática, reelaborando continuamente teorias que orientem sua atitude de mediação. (ALMEIDA, 1998, p. 2-3)

Não basta ter apenas formação técnica, é preciso ir aprendendo e vivenciando com os alunos nos ambientes de aprendizagem, quer sejam no laboratório de informática ou na sala de vídeo. É preciso proporcionar projetos que estimulem os alunos não apenas na autoria técnica, mas sim na produção do conhecimento, auxiliar que esses alunos saibam interpretar, sintetizar, refletir, ter criticidade, pensamento lógico, serem autônomos e saber pesquisar referenciando fontes, como ressalta Moran (2006 p.86):
A produção de conhecimento com autonomia, com criatividade, com criticidade e espírito investigativo provoca a interpretação do conhecimento e não apenas a sua aceitação. Portanto, na prática pedagógica o professor deve propor metodologias que contemplem elaboração de projetos que provoquem um estudo sistemático, uma investigação orientada, para ultrapassar a visão de que o aluno é um objeto, e torná-lo sujeito e produtor do seu próprio conhecimento.

O preparo do professor não pode ser uma simples oportunidade para passar informações, mas deve propiciar a vivência de uma experiência. É o contexto da escola, a prática dos professores e a presença dos seus alunos que determinam o que deve ser abordado nos cursos de formação Assim, o processo de formação deve oferecer condições para o professor construir conhecimento sobre as técnicas computacionais e entender por que e como integrar o computador na sua prática pedagógica. (VALENTE, 1999)

Sugestão de atividades com televisão aberta e DVD

Uma sugestão de atividades com o uso da televisão é explorar uma temática que seja especifica da disciplina ou tema e que esteja em discussão pela mídia. Divide-se a turma em pequenos grupos, e cada grupo pode analisar programas da TV aberta, em canais diferentes, a partir de uma ficha criada pelos professores para direcionar a pesquisa e a análise. Posteriormente, o professor realiza uma mediação junto aos grupos sugerindo que os alunos criem suas próprias questões para realizarem pesquisas com os membros da família, colegas do colégio, entre outros. Os alunos podem gravar trechos dos programas que vão apresentar para melhor ilustrar a análise feita por eles, e o resultado da pesquisa. Os recursos para executar a atividade são todas as TIC disponíveis, sendo as mais indicadas a televisão e o DVD/videocassete. Para avaliação da atividade será verificada a execução de todo o trabalho, o papel que cada um exerceu no decorrer da atividade, bem com, cada grupo irá se auto-avaliar.

Para trabalhar com o DVD, o professor pode fazer uma atividade de sessão comentada, e para isso é preciso orientar aos alunos a assistirem o filme com visão analítica, fazendo comentários e anotações sobre as cenas importantes de forma crítica. Após essa etapa, pode-se criar um cine-fórum realizando um debate sobre o filme. Posteriormente, o aluno pode apresentar uma ficha de avaliação e entendimento sobre o tema abordado, além de inserir mais dados sobre o assunto, pesquisando em jornais, revistas, Internet e livros. Nessa etapa, sugere-se que as autorias sejam individuais. Para realizar essa mesma atividade com diversas turmas o professor necessita dispor de livros, e fitas/DVDs, organizado, com fichamento, resumos e sugestões de aplicabilidade dos conteúdos. Uma excelente idéia é mobilizar alunos e comunidade no sentido de arrecadar doações de livros e fitas/DVDs.

Trabalhar com informática, por onde iniciar?

Um exemplo prático é trabalhar no laboratório de informática da escola, onde o educador precisa criar um planejamento, ter um objetivo para trabalhar nesse espaço, mas para isso é necessário dominar o computador, saber realizar uma pesquisa na Internet, aprender a trabalhar com os aplicativos de escritórios e softwares educacionais.

Os softwares educacionais são classificados como tutoriais, exercício e prática, jogos e simuladores. De todos os exemplos, existem softwares livres e proprietários. Os softwares educativos são desenvolvidos visando o aprendizado dos alunos, desenvolvendo habilidades e competências nos mesmos. Alguns exemplos são softwares educacionais que desenvolvem a lógica dos alunos, fazendo com que ele crie seus próprios jogos “programação”, em outros, é o professor que pode criar atividades para os alunos executarem “exercício e prática”, trabalhar a motricidade, coordenação motora, criatividade e lúdico “desenho e imagem”, e diversos jogos voltados a distintas matérias e conteúdos. Para as escolas que não tem acesso à Internet os softwares são uma possibilidade, e é preciso que o professor esteja sempre buscando novos programas, pois existem softwares educacionais livres para as diversas necessidades que o professor perceba nos seus alunos.

Este espaço foi dedicado a um exemplo prático de projeto pedagógico para ser executado no laboratório de informática baseado na obra da Cox (2003). A finalidade dos professores criarem é para que possam contextualizar suas aulas e promover junto aos alunos possibilidades de exercer a autoria de seus trabalhos de forma autônoma, elaborada e mediada pelos professores ou responsáveis pelo laboratório, contudo o mais indicado é o profissional multimeios ou que tenha especialização em informática na educação, que já pode facilitar na elaboração desse projeto e sugerir os recursos “softwares necessários”.

Portanto, antes de iniciar o projeto, o professor precisa pensar em quais recursos que pode utilizar com os alunos, para desenvolver a atividade. Sugere-se, se o projeto for longo e de diversas etapas, que o professor crie uma webquest (página do projeto virtual), descrevendo todo o projeto, passo-a-passo, e como um espaço coletivo explore o uso do blog com os alunos, utilizando o mesmo como um espaço de interação entre os grupos. Todos os alunos e um canal, assim, o professor pode explorar o blog com todos os seus recursos e como fórum, gerando uma temática sobre cada grupo ou no geral e pedindo que os alunos interajam. O professor de uma ou mais disciplinas ao criar temas ou assuntos deve pensar de que maneira esses poderão ser executados pelos alunos utilizando o computador.

Um único projeto pode ser explorado, em um primeiro momento, utilizando o conhecimento prévio dos alunos, após, utilizando pesquisa através de livros e, posteriormente, com pesquisas filtradas na Internet. O professor da disciplina de Português pode estimular a criação de um texto integrando conhecimentos prévios com os pesquisados na Internet. Já o professor da disciplina de Matemática pode estimular a criação de uma pesquisa, utilizando livros e sites na Internet e executando essa atividade no editor de planilha de cálculo, inserindo números e dados sobre a pesquisa e gerando gráficos. Para visualizar a inserção de imagens e frases que ligam ao tema, os alunos podem trabalhar no editor de apresentação com efeitos e inserção de músicas, e, neste caso, para melhorar a qualidade das apresentações os alunos podem utilizar editores de imagem. Para finalizar, os alunos podem buscar entrevistados, filmar e tirar fotos e realizar uma reportagem com a idéia final do projeto, executado em editores de vídeos. A fim de documentar e interagir no decorrer da atividade, de forma individual, em duplas, ou grupos, os alunos podem apresentar comentários sobre sua autoria no blog da turma.

Durante o desenvolvimento de um projeto, o educador, para deixar o planejamento atrativo e que gere uma aprendizagem significativa, pode fazer parceria com outro professor e trabalhar de forma coletiva, interagindo e promovendo uma aprendizagem entre todos os participantes, porque além dos alunos terem a possibilidade individual de aprender a lidar com o uso do computador, facilita o desenvolvimento social entre colegas e professores. Sendo interdisciplinar amplia a visão do aluno sobre os assuntos trabalhados, realizando uma contextualização entre Escola e Sociedade, desenvolvendo uma educação moderna e significativa. Esse mesmo processo pode ser repetido, utilizando programas de televisão e vídeos, que geralmente não apresentam uma temática com visão linear, mas abordam diversos assuntos com um único programa ou filme.

Integração das TIC : jornal e da Televisão

O jornal é um recurso muito utilizado em aula em qualquer nível de ensino.

O uso do jornal em sala de aula indica um novo contorno do pensar e agir por meio da leitura e manipulação do jornal na escola, com resultados admiravelmente positivos. Permite, principalmente para novos leitores, a chance de acesso ao recurso jornal, como um estímulo ao prazer de ler, vincula a realidade social e a natural concepção de alternativas para demonstração de atitudes cidadãs, por parte dos leitores, diante das informações por ele veiculadas. Consiste em promover, nas salas de aula, a leitura com mais prazer, com o manuseio de jornais do dia ou de dias anteriores. (HAMZE, 2008)


O uso da televisão não é considerado um recurso novo, porém grande parte dos educadores ainda não consegue utilizá-lo de forma pedagógica, criando questionamentos, ressaltando a linguagem que está sendo apresentada e gerando debates. É nesse tipo de atividade que os alunos precisam ser ensinados aos poucos como trabalhar, como avaliar, classificar, refletir, não aceitando tudo que esse meio (televisão/cinema) nos transmite e emite como mensagem, muitas vezes única. “Imagens e sons, na linguagem audiovisual são conjugados harmoniosamente para conferir inteligibilidade às mensagens, permitindo que o processo de comunicação se efetive segundo os propósitos pretendidos (FERREIRA, 2003, p.32).


Comentário de um aluno sobre a utilização das TIC e ter aula em outros ambientes:

a percepção dos alunos sobre a troca de salas fez com que se sentissem mais motivados a estudar em outros ambientes/salas da escola. Todos os discentes responderam que sim, desde que esteja relacionado com as matéria que esteja sendo ensinada. Uma citação de aluno: sim, o laboratório de informática e sala de vídeo acabam por me fazer pensar e refletir sobre certos assuntos, inclusive pesquisar, se for necessário. Outra citação: sim para a sala de vídeo, por ser um recurso descontraído torna o aprendizado mais divertido e fácil. Outra resposta: sim me sentiria motivado, pois me identifico com a informática. As respostas são de acordo com seus interesses e motivações, ou seja, é interessante para os alunos assistir um vídeo, ou assistir um programa, uma reportagem na televisão ou realizar atividades no laboratório de informática, pois essas atividades fazem parte de suas realidades. Como citou Sócrates no portal da SEED – PR:

Observar-se que um ambiente favorecido à leitura, possibilita o interesse à curiosidade, e com isso despertando o hábito de ler que irá progressivamente evoluindo na vida escolar,pois há casos em que a curiosidade está acima de um ambiente propício em que o leitor tem a gana de saber mais e mais,buscando através de pesquisas,questionamentos dentro e fora do ambiente escolar. (SEED – PR, 2008).

As TIC contribuem para aprendizado do aluno

O uso das tecnologias, principalmente o uso da informática, pode vir a contribuir de diversas formas para o desenvolvimento do aluno. Como estar sempre atualizado, tornar-se um sujeito pesquisador e crítico, além de facilitar a comunicação, contribui para que os alunos possam ingressar no mundo de trabalho, principalmente porque o uso dessa ferramenta desenvolve a autonomia, a criatividade e a lógica. “Com esta ferramenta existem múltiplas possibilidades de atuação no mercado de trabalho contemporâneo”., explora como a educação pode desenvolver essas contribuições ainda no período escolar”:
(...) a proposta de educação integral consiste em desenvolver no educando, dentre outras coisas: criatividade, autonomia,cooperação,criticidade,competências, cidadania” (...) visão da totalidade,competências cognitivas e sociais da população no sentindo de preparar o indivíduo para uma nova cidadania. (COX 2003, p.61)

Quais as TIC que a sua escola ou instituição oferece, não precisa ser tecnologia de ponta.

As chamadas TIC e não somente a informática, mas sim todas as mídias digitais estão presentes na nossa sociedade contemporânea, e é preciso explorar seu uso não apenas na visão de mercado de trabalho, porém devem estar presentes em todos setores sociais. Ao contrário do que a grande maioria dos professores pensa, as tecnologias educacionais não são apenas computadores e televisores, são também os recursos utilizados para aprimorar o ensino e aprendizado dos alunos.
(...)os recursos tecnológicos são mutáveis e o sujeito é quem determina o uso que fazemos desses recursos. Essas intenções se referem aos paradigmas educacionais e comunicações presentes na escolha e na utilização dos diferentes recursos tecnológico. (COSCARELLI, 2002, p.43)

O recurso que os educadores poderão vir a escolher pode ser diverso, não é necessário que seja eletrônico, mas pode ser um recurso que facilite a comunicação e a escrita, entre outras necessidades. Segundo Leite (2003) pode ser manual, sem o uso da energia elétrica, são chamados de tecnologias independentes¹, tais como jogos pedagógicos realizados com materiais descartáveis, murais, blocão, jornal escolar. Quem não domina os recursos digitais, mas tem facilidade em recursos manuais, tem a possibilidade de aprender com um colega e ensiná-lo, concretizando a prática de colaboração e interdisciplinaridade, ensino por fichas, livros, teatros, cartaz, quadro-de-pregas, entre outros (...) ou recursos eletrônicos chamados de tecnologias dependentes como, por exemplo, o rádio, TV, vídeo, cinema, retro-projetores, computadores, celulares, mp3 e mp4, palms (...) possibilitando uma diversidade ampla na escola.
O termo audiovisual remete a pensarmos em tecnologias que envolvem áudio, imagem ou a união de ambos. Logo, vamos unir as comunicações de massa, televisão, rádio e cinema;
Como também, quase todas têm o aparelho de Televisão, antena parabólica e o aparelho de videocassete ou DVD. Portanto, o uso da televisão na escola como um meio tecnológico facilita a aprendizagem do aluno, pois os alunos já têm uma identificação com esse recurso, o que facilita o seu uso com os mesmos. “Na vida do educando, a televisão ocupa hoje um espaço significativo” Penteado (1990), basta que os professores saibam como aplicar esse recurso integrado ao seu conteúdo e planejamento, ou até mesmo, com uma problemática que tenha surgido na escola/turma, comunidade ou acontecimento nacional ou mundial.
Como a TV é feita para atingir diferentes camadas da população, diferentes aspectos da realidade social são por ela retratados. Se a escola quiser seguir uma lição do método Paulo Freire onde, a importância da representação icônica da realidade existencial, não precisa sequer cuidar da elaboração de material visual, pois eles já existem e a ele praticamente toda a população se expõe de forma regular e prazerosa. (PENTEADO,1990,p.111)
O uso dos audiovisuais na educação possibilita a aprendizagem dos alunos em razão desses recursos integrarem imagens e áudio. O que os torna atrativos e comunicativos, pois tanto o áudio quanto a imagem transmitem informações, ambos ligados a textos formam uma ferramenta multitarefa .
Também temos o computador na atualidade é um bem indispensável, pois deixou de ser um recurso essencial só nas empresas para organização e armazenamento de dados, utilização de aplicativos e construção de softwares para atender suas demandas. Para as pessoas físicas, além de entretenimento, passou a ser um meio indispensável de informação e comunicação entre elas. Em razão dessas características, a informática ganhou outro espaço, na educação, como ferramenta indispensável para a busca de novos conceitos, para facilitar a interação entre professor e alunos, estimular a criatividade e desenvolver o raciocínio lógico, além de instigar a leitura e escrita.

A trajetória para a mudança não é fácil, mas é preciso comunicar-se com os alunos

O fato de o professor ter receio de deixar o aluno opinar, por medo de críticas. E com os meios de comunicação cada vez mais explícitos e com conteúdos variados, os alunos têm adquirido conhecimentos múltiplos, muitas vezes superficiais, necessitando de uma intervenção do seu professor, mas como eles aprendem com uma linguagem mais “popular” o professor muitas vezes não sabe abordar esses assuntos utilizando uma linguagem mais simples. Como ressalta a citação abaixo:

Na epistemologia genética desenvolvida por Piaget, o conhecimento realmente ocorre quando o sujeito consegue refletir sobre o fazer, dominar em pensamento a ação e em Vygotsky – com a zona proximal de desenvolvimento – o indivíduo constrói sua própria visão de mundo e sua forma de atuar nele a partir de interações sociais; o professor deve atuar dentro da ZPD do aluno, isto é, entre o que ele já sabe e o que potencialmente já é capaz de fazer, se receber uma ajuda. (XAVIER, 2002)

A ação que o professor necessita para que haja uma aproximação com os alunos é a comunicação. Não há aprendizado sem trocas, aonde o educando possa elaborar o que o professor ensinou a sua maneira particular, dialogando com o professor, realizando trocas, para que absorva o conteúdo de forma integrada e não decorada, apenas com o objetivo de sair-se bem na avaliação.

Mas afinal, por onde podemos iniciar essa transformação?

A educação precisa ter uma nova visão. É preciso ter um olhar amplo e flexível, uma visão de mundo, onde o professor possa assumir diversas posturas como educador, deixando de visualizar somente sua área e passando a visualizar a educação como um todo, não fragmentada, possibilitando que os alunos consigam ter uma visão abrangente e holística, integrando as diversas áreas do conhecimento. Essa ação é possível através de atitudes e projetos educacionais, não necessariamente projetos que envolvam a Escola toda, mas um consenso entre os professores com áreas afins ou os mesmos interesses em desenvolver o autoconhecimento dos alunos.
Para desempenhar essa ação pedagógica é preciso proporcionar um ambiente de aprendizagem. Para isso, é preciso alterar a postura fundamentada no Paradigma Emergente, segundo Cunha apud Moran (2006.p.86)
A ação pedagógica que leve à produção do conhecimento e que busque formar um sujeito crítico e inovador precisa enfocar o conhecimento como provisório e relativo, preocupando-se com a localização histórica de sua produção. Precisa estimular a análise, a capacidade de compor e recompor dados, informações e argumentos. Acrescida da valorização da ação reflexiva e a disciplina tomada como capacidade de estudar, refletir e sistematizar o conhecimento instiga o aluno a reconhecer a realidade e a refletir sobre ela.

Mudança na educação

"A educação tem que surpreender, cativar, conquistar os estudantes a todo momento. A educação precisa encantar, entusiasmar, seduzir, apontar possibilidades e realizar novos conhecimentos e práticas. O conhecimento se constrói a partir de constantes desafios, de atividades significativas, que excitem a curiosidade, a imaginação e a criatividade” Moran (2007 p.6)

Se os professores, buscarem alternativas mesmo que aos poucos, mas buscarem recursos mais atrativos para inserir em suas aulas os alunos vão valorizar mais pois, não será o mesmo feijão com arroz.

Contudo, o professor precisa ser diferenciado, aberto ao novo, não deixando o que é bom de lado, mas aceitando as novas possibilidades pedagógicas. No inicio pode ser difícil, porém, é necessário tentar a mudança, ao menos. Como menciona o Poema das Utopias (Espelho Mágico) Quintana, (2008): “Se as coisas são inatingíveis... ora! Não é motivo para não querê-las. Que tristes os caminhos se não fora a mágica presença das estrelas!”.